ARS Geologia Ltda DIAGNÓSTICOS E SOLUÇÕES
 
SOBRE ÁREAS DE ATUAÇÃO MÉTODO DE TRABALHO ARTIGOS LIVROS CLIENTES CONTATO

PRINCÍPIOS E MÉTODO DE TRABALHO

A pessoa que gosta de agir sem teoria é qual marinheiro que sobe a bordo
de um navio sem leme e bússola e nunca saberá onde aportar.
Leonardo Da Vinci

O sucesso de uma atividade técnica depende intimamente dos princípios conceituais e metodológicos adotados em sua execução. Uma atividade técnica que não se encontre apoiada e orientada por premissas conceituais está sujeita a erros e omissões, assim contribuindo diretamente para o insucesso dos objetivos finais a que se destinam.

A seguir são descritos os princípios conceituais e metodológicos que dão suporte às atividades técnicas desenvolvidas pela ARS GEOLOGIA.


  1. Não há intervenção humana no meio físico geológico natural do planeta que não provoque algum tipo de desequilíbrio. O corte em uma encosta, o peso de uma barragem, o vazio provocado pela escavação de um túnel, a impermeabilização do solo causada pela cidade, o rebaixamento forçado do lençol d’água subterrâneo, o desmatamento de uma região; enfim, ao modificar as condições naturais pré-existentes o homem está interferindo em um estado de equilíbrio dinâmico natural. Como resposta à ação do desequilíbrio há uma mobilização de forças naturais orientadas, como reação, a buscar um novo estado de equilíbrio. Caso esse empenho de busca de um novo equilíbrio se dê isoladamente pela própria Natureza, as consequências para o homem costumam ser catastróficas. Deslizamentos, avarias e acidentes em fundações, recalques de terrenos, colapso de obras subterrâneas, patologias estruturais, violentos processos erosivos, enchentes, etc. Para que essas consequências negativas não aconteçam é necessário que o homem entenda perfeitamente as características e processos naturais do meio geológico em que está interferindo, de tal forma a melhor adequar seus projetos.

  2. A abordagem da Geologia de Engenharia é essencialmente fenomenológica. Ou seja, a missão maior da Geologia de Engenharia está em produzir um quadro completo dos fenômenos geológico-geotécnicos que podem ser esperados da interação entre as solicitações típicas do empreendimento que foi ou será implantado e as características geológicas (materiais e processos) dos terrenos por ele afetados.  A esse quadro fenomenológico a GE junta suas sugestões de cuidados e providências que projeto e obra deverão adotar para ter esses fenômenos sob seu total controle.

  3. A partir da identificação dos fenômenos potenciais ou ocorrentes em uma dada relação solicitação/características geológicas, caberá à Geologia de Engenharia e à Engenharia Geotécnica decidir sobre as soluções de engenharia mais adequadas. Nesse contexto, o geólogo de engenharia deverá ter toda sua atenção voltada ao zelo por uma perfeita aderência entre solução e fenômeno.

  4. Uma solução de engenharia envolve dois fatores, o técnico e o econômico, do que decorre que a melhor solução para um determinado problema sempre será aquela que ofereça ao menor custo a total segurança técnica de seu desempenho.

  5. Para o meio técnico-científico o maior desafio na questão ambiental refere-se à busca e à produção de conhecimentos científicos e tecnológicos que tornem possível a compatibilização entre o desenvolvimento econômico socialmente necessário e a decisão de conservar o meio ambiente e respeitar o direito das gerações futuras o desfrutarem plenamente. Aos agentes econômicos privados e públicos, e particularmente à Engenharia nacional, cabe definitivamente deixar de entender as questões ambientais como estorvos maçantes às suas atividades e planos rotineiros, para começar a percebê-las como saudáveis e instigantes desafios a demandar ousadia e criatividade tecnológica para os superar.

Rua Fernando Caldas, 128, Butantã, São Paulo . CEP 05535060 . Tels 11 3722 1455 / 11 99752 6768 . email arsgeologia@gmail.com